Risk in Context

O que fazer em caso de paralisação em uma obra com seguro vigente?

Posted by Silvana Speranza Abril 27, 2020

Enquanto a covid-19 continua progredindo, muitos projetos de construção de todo o mundo podem sofrer com a intervenção de governos ou associações e com os impactos que o vírus pode causar às cadeias de fornecimento, levando a paralisação e atrasos.

Diante disso, nossos clientes devem ser avisados sobre a necessidade de cumprimento dos procedimentos previstos nas apólices de comunicação imediata à seguradora de qualquer paralisação em suas atividades. A comunicação deve vir acompanhada de um cronograma atualizado que demonstre o período previsto de paralisação das atividades construtivas no canteiro, fato este que sabemos da dificuldade do momento, por isso estamos tratando caso a caso.

Por quê?

Há uma exclusão tradicional de mercado sobre paralisação total ou parcial da obra civil e/ou da instalação e montagem.

Em casos extremos de paralisação de obra, deve-se ajustar a apólice de modo que ela vigore com o escopo de obras paralisadas durante o período em questão. Trata-se de um escopo de cobertura mais restrito, já que exclui riscos decorrentes de atividades de instalação e montagem, movimentação interna no canteiro, erro de projeto, dentre outros.

O que é necessário para caso esse cenário venha a se instalar? Seguem dicas e pontos de atenção:

  • Garantir que o local seja inspecionado regularmente
  • Garantir a segurança e proteção adequadas
  • Garantir que medidas razoáveis sejam tomadas a fim de proteger a propriedade segurada contra perdas ou danos físicos ou a terceiros

Segurança do local:

  • Assegure-se de que os locais de armazenagem estejam seguros e, no caso de paralisação prevista para um período prolongado, instale ao menos um sistema de monitoramento para garantir que ele permaneça seguro e que não ocorram problemas de incêndio/segurança/danos por água.
  • Considere usar um sistema de circuito fechado de monitoramento.
  • Garanta que todas as escavações abertas no local sejam protegidas com, no mínimo, proteção de borda para evitar quedas, caso pessoas (ou mesmo crianças) consigam acessar o local. Se o fechamento for por um período prolongado, considere cobrir ou preencher a escavação. Também assegure que as inspeções legais de andaimes continuem, principalmente após quaisquer condições climáticas adversas.

Danos causados por água:

  • Sempre que possível, interrompa o suprimento de água do local.
  • Sempre que possível, drene qualquer sistema de água.
  • Considere estruturas ou componentes resistentes a alterações climáticas. Pergunte-se se há algo que possa ser danificado em situações adversas.
  • Sempre que possível/relevante, isole os sistemas elétricos, tendo em mente manter a conectividade com os sistemas de segurança e proteção contra incêndio.

Armazenamento de materiais:

  • Garanta que todos os materiais perecíveis, sensíveis a mudanças climáticas e/ou inflamáveis sejam armazenados em uma seção estanque das edificações principais ou em contêineres. Remova qualquer material de alto valor do local, sempre que possível (ou seja, cabos, equipamentos feitos de cobre, entre outros).

Durante os períodos de paralisação, os canteiros podem se tornar também alvos de incêndios criminosos. Seguir as melhores práticas, como localizar e eliminar brechas no perímetro das obras, pode ajudar a reduzir estes riscos. Remover lixo e resíduos antes da paralisação também pode contribuir com a diminuição do risco.

Ouçam seus clientes. Importante neste momento mantermos a comunicação e entender o andamento de cada projeto.

Conte com a Marsh para ajudar em qualquer dúvida ou apoio junto aos clientes.

Temas relacionados:  Brazil

Silvana Speranza