We're sorry but your browser is not supported by Marsh.com

For the best experience, please upgrade to a supported browser:

X

Pesquisas & Informativos

Covid-19: Reabertura dos negócios em um mundo pós-coronavírus

 


Não se engane: o mundo do trabalho nunca mais será o mesmo. Da mesma forma que o evento de 11 de setembro mudou a maneira como viajamos pelo mundo, a pandemia a covid-19 mudará a forma como trabalhamos. Essas mudanças se estenderão à forma como as pessoas se deslocam todos os dias, entram nos locais de trabalho, interagem com outras pessoas, gerenciam tarefas e muito mais. Em um mundo pós-covid-19, o trabalho não deve apenas ser seguro, ele deve ser "limpo e seguro".

Identificamos seis grandes questões que as organizações precisarão abordar à medida que forem abrindo seus negócios, desde a forma como definimos o que está "limpo" até a natureza do trabalho e a logística de apoio.

1. Limpeza e Garantias

Depois do evento de 11 de setembro, o público precisa de garantias de que as viagens aéreas são seguras e protegidas. Um novo nível de detecção afetou todos os viajantes e funcionários do aeroporto. Da mesma forma, após a pandemia, os empregadores precisarão garantir que os locais de trabalho estejam limpos e seguros. Mesmo que a população atinja a imunidade coletiva contra a covid-19, as pessoas vão esperar que as instalações mantenham altos padrões.

Em primeiro lugar, as empresas precisarão adotar procedimentos rigorosos de limpeza para clientes e funcionários. Nos Estados Unidos, por exemplo, os Centros de Controle de Doenças (CDC, sua sigla em inglês) publicaram recomendações sobre como deve ser realizada a limpeza, em virtude da covid-19.

Esses procedimentos devem ser transparentes para todas as partes. Isso pode assumir a forma de uma certificação, como os avisos de verificação de segurança afixados em elevadores, ou uma classificação, como a publicação de um departamento de saúde em um restaurante. Da mesma forma que é feito com outros elementos de segurança, essas práticas deverão ser auditadas.

A longo prazo, é razoável supor que os reguladores redefinirão os padrões mínimos de limpeza para coisas que vão desde os processos de desinfecção até a higiene dos funcionários. Além disso, a adesão dos funcionários a práticas sanitárias mais rigorosas deve ter comportamentos claramente definidos. Isso pode variar de algo tão simples como as instruções para lavar as mãos até técnicas de limpeza complexas para máquinas, procedimentos ou indústrias específicas.

Os líderes deverão reforçar comportamentos e garantir a transparência de ações e situações, como em métodos de liderança semelhantes em saúde e segurança. Isso significa manter verificações de limpeza. Eles terão que definir e distribuir novos parâmetros de limpeza, além de informar sobre o desempenho da empresa aos funcionários. Além disso, os supervisores precisarão implementar uma série de regras novas, exigindo que eles desenvolvam um novo conjunto de habilidades em relação à gestão da limpeza, desinfecção e vistoria.

Também podemos esperar ver um aumento do uso de equipamentos de proteção individual, incluindo o uso ampliado de luvas e máscaras faciais, tornando-se a norma em muitos ambientes onde se lida diretamente com o cliente. Os procedimentos para entrada e saída de materiais também precisarão ser alterados. Assim como a "Análise de riscos dos pontos críticos de controle" (HACCP, sua sigla em inglês), a exposição aos vírus deve ser minimizada em toda a cadeia de suprimentos. Isso pode significar minimizar pontos de contato, criar protocolos de desinfecção e diversificar o fornecimento. Esses procedimentos devem ser claramente definidos e comunicados, com expectativas estabelecidas para a responsabilidade dos funcionários.

As melhorias nas instalações também precisarão ser avaliadas, desde uma melhor HVAC e filtragem do ar, até compartimentos de proteção para os trabalhadores.

2. Saúde

Antes de voltar ao trabalho, podemos esperar alguma forma de escrutínio regulatório ou orientação sobre quais indústrias podem começar a se preparar e em quais localidades. Os governos federal, estaduais e locais provavelmente desempenharão um papel na tomada dessas determinações. Isso pode ser feito em uma avaliação de risco por cidade, bem como na priorização dos tipos de indústria. Um retorno ao trabalho ordenado e baseado em riscos vai estabelecer novas rotas em termos de questões legais, aconselhamento médico e privacidade, particularmente se as pessoas devem voltar ao trabalho devido à exposição ao vírus, imunidade ou vacinação.

Já de volta ao trabalho, é razoável supor que os funcionários serão avaliados e examinados regularmente para detectar os sintomas da covid-19, o que provavelmente apresentará problemas de privacidade e leis trabalhistas. O modo de implementar testes e exames expandidos será determinado posteriormente. As empresas precisarão criar salas de isolamento para os funcionários que apresentarem sintomas durante o trabalho, e serão necessárias políticas de quarentena. Nos Estados Unidos, os CDC criaram documentos de orientação sobre como isso deve funcionar.

Quando retornarem ao trabalho, as empresas precisarão repensar as políticas de tempo livre, abordando, por exemplo, as práticas punitivas por ausências. Qualquer revisão das políticas de tempo livre deverá equilibrar a necessidade de manter os funcionários doentes em casa com a necessidade de manter as operações em funcionamento. Espere ver os empregadores examinando suas práticas de tempo livre para obter o correto equilíbrio das operações e permitir que os funcionários fiquem em casa enquanto estiverem doentes. Afinal, as organizações não podem aceitar que os funcionários compareçam ao trabalho enquanto tiverem sintomas da covid-19. Além disso, devem levar em conta a realidade de que alguns funcionários podem ser assintomáticos e infecciosos.

A longo prazo, o acesso às formas de medicina remota será a norma, pois podemos esperar um aumento importante em seu uso, à medida que vai se tornando habitual. Isso se aplica tanto à medicina industrial quanto às consultas médicas individuais. Dado o nível de estresse no ambiente, o apoio proativo à saúde mental dos funcionários será essencial.

3. Monitoramento

No curto prazo, funcionários e visitantes podem esperar formas cada vez mais invasivas de monitoramento da saúde. É fácil imaginar que algumas dessas mudanças venham se tornar, a longo prazo, uma forma habitual de operação. Exemplos de mudanças incluirão o monitoramento ativo da saúde e dos sintomas, desde a detecção de vírus até o controle da temperatura. Essas mudanças vão alterar os conceitos de privacidade de uma forma que ainda não pensamos.

Se considerarmos a Ásia como um modelo pós-covid-19, provavelmente os funcionários do mundo todo começarão a ser classificados de acordo com os padrões de saúde. Por exemplo, um código verde em um dispositivo eletrônico ou pulseira pode indicar imunidade ou vacinação contra a covid-19 e permitir que os funcionários tenham acesso ao transporte, ao emprego e ao comércio.

4. Customização

Os dias de equipamentos de escritório compartilhado e salas fechadas provavelmente estão ficando para trás. Os equipamentos compartilhados são uma fonte de germes compartilhados. Isso inclui computadores, impressoras, PDAs e telefones. Além disso, é preciso pensar em sistemas de controle sem toque para outros equipamentos fixos compartilhados, como elevadores e portas (especialmente portas corta-fogo e outras portas de saída). Espaços reduzidos facilitam a propagação do vírus através da exposição a partículas infecciosas.

À medida que as pessoas forem voltando ao trabalho, as empresas deverão avaliar horários de turnos, rodízios e horários de início para minimizar a exposição. As grandes reuniões de funcionários serão adiadas, ou provavelmente eliminadas. Da mesma forma, os refeitórios e cafés mudarão, a fim de reduzir a exposição dos funcionários. Essas respostas exigirão avaliação tanto para negócios habituais como para o planejamento futuro de pandemias.

5. Isolamento

A tecnologia permitiu que muitas empresas funcionassem normalmente durante a pandemia. Podemos esperar que a opção de trabalho remoto se torne mais popular, o que significa que para uma parte da força de trabalho o trabalho em casa se tornará permanente. Em outras áreas, podemos ver uma aceleração da automação do trabalho, principalmente para negociações de rotina e o trabalho no ponto de venda.

No caso de funcionários que continuam trabalhando em ambientes de escritório, é provável que ocorram alterações fundamentais no design para adaptar-se ao distanciamento social. Isso significa afastar-se dos espaços compartilhados e dos escritórios de espaços abertos.

As viagens serão significativamente reduzidas, pois os empregadores integrarão tecnologias virtuais nos negócios, que passarão a ser habituais. Quando não for viável substituir as viagens, as empresas deverão tomar decisões baseadas no risco sobre quais modos e serviços de viagem são aceitáveis. Pode esperar mudanças no deslocamento, no uso compartilhado de automóveis e no uso compartilhado de viagens, incentivados pelo desejo de um melhor afastamento e opções de transporte de menor densidade.

6. Preparação

Para garantir que a infraestrutura crítica e as funções essenciais sejam mantidas, as organizações dependerão cada vez mais do isolamento dos funcionários ou de contar com alojamentos para os mesmos perto das instalações e isolados da população em geral. O que exigirá planejamento, treinamento e prática para conseguir isso. Essa é uma abordagem específica para empresas de serviços públicos, fornecedores de energia e manufaturas.

A crise atual também nos ensinou o valor de estarmos preparados para uma pandemia. O que significa ter políticas e práticas prontas para funcionar quando necessário. Isso significa sistemas de tecnologia robustos para gerenciar o trabalho de casa e outras necessidades. Significa também realizar exercícios de simulação periódicos para garantir a solidez dos planos e a preparação dos líderes. As simulações devem testar a fortaleza das cadeias de suprimentos. No nível tático, significa também ter reservas dos EPIs necessários e outros itens essenciais. Individualmente, significa ter expectativas claras de comportamento, verificação e feedback. Para as diretorias, significa um desafio constante e uma verificação da solidez do plano.

Mudanças fundamentais à vista

À medida que o mundo emerge da atual pandemia, o mundo do trabalho realizará algumas mudanças fundamentais: mudanças que implicam desafios biológicos, físicos e emocionais. Agora que acabamos de fazer mudanças após o evento do 11 de setembro, nos adaptaremos e responderemos aos desafios das pandemias. Será necessário termos consideração e planejamento. As pessoas precisarão mudar seus comportamentos fundamentais sobre a forma como o trabalho é realizado e a forma como mantemos nossas instalações limpas e seguras.